Família e Fé em deus

Minha trajetória

Aos seis anos de idade, João, filho da dona Vera e do seu João, após alguns sustos de falta de ar, foi diagnosticado com asma. A recomendação médica era simples e clara: prática de esporte para prevenir as fortes crises. Estudante do colégio Rio Branco, em Porto Alegre, João pôs em prática a orientação do seu médico e ingressou no projeto social de judô da própria escola. A situação financeira da família não permitia que fosse diferente. Ninguém sabia, mas o destino de um dos maiores ídolos dos tatames começava a ser traçado no ano de 1988. Franzino no tamanho, João logo mostrou-se um gigante do esporte. Dedicado e talentoso, pouco tempo após começar a treinar no projeto social, João foi convidado para treinar na Sogipa, um dos mais tradicionais clubes de Porto Alegre.

Eu e meu filho Beni

Foto de 2020

As dificuldades financeiras poderiam ter impedido João de competir e de se tornar um atleta profissional, mas era Deus quem estava traçando o caminho. E claro, ele também fez sua parte: além dos treinos regrados, vendeu rifa, pizza e frango; tudo feito por sua mãe e que ele levava para oferecer no clube.

JOÃO DERLY: 10 Anos de uma conquista histórica | CBJ

Além do apoio e suporte familiar, João encontrou seu sensei muito cedo. Em mais de 20 anos de trajetória esportiva, ele teve apenas um treinador e um clube, por escolha, não por imposição, algo muito raro no meio esportivo. O Kiko e a Sogipa ainda seguem sendo parte da vida do judoca que ganhou o mundo e sempre valorizou suas origens.

Em mais de duas décadas de judô, foram muitas conquistas e títulos em todas as categorias. A Seleção Brasileira tornou-se uma rotina. E, em 2000, na Tunísia, João Derly conquistou o Mundial sub-20. Em 2001, foi medalha de bronze na Universidade, uma olimpíada universitária. Tudo isso em meio a dezenas de títulos gaúchos e brasileiros.

Em 2005, na cidade do Cairo, Egito, no Campeonato Mundial de Judô, João subiu no mais alto lugar do pódio e conquistou um título inédito. Não bastasse, ainda foi eleito como o melhor atleta da competição. Em 2006, mais um título inédito para o Brasil: o Grand Slam de Paris.

Logo em seguida, em 2007, a consagração: João Derly tornou-se bicampeão mundial durante o 25º Campeonato Mundial, em solo brasileiro, no Rio de Janeiro.

João despediu-se dos treinos e dos tatames, mas não abandonou o esporte. Em 2012, após muitos convites, decidiu entrar para a política para levar a bandeira esportiva para o setor público. Eleito com mais de 14 mil votos, a estreia foi digna de um campeão! No primeiro ano de mandato, João teve mais uma conquista inédita: tornou-se pai da Isabela, sua primeira filha, fruto de sua união com Gabriela.

Na Câmara de Vereadores, foi presidente da Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Juventude. Também presidiu a CECOPA, comissão temporária que fiscalizou as obras da Copa do Mundo na cidade. João priorizou a educação, a saúde e o esporte em seus dois anos de mandato.

Câmara aprova dois projetos de João Derly - Vermelho

Em 2014, mais um grande desafio. Era hora de alçar voos maiores e ele concorreu a deputado federal. Foi eleito com 106.991 votos. Em Brasília, foi um ferrenho defensor do combate à corrupção; propôs da CPI da CBF, que apurou escândalos de desvio de recursos por dirigentes da entidade; e defendeu o fim do Foro Privilegiado. Foi o presidente da Frente Parlamentar Mista do Esporte e mobilizou grandes atletas de todo o país para a derrubada da MP 841, que retirava recursos de todo o esporte de base brasileiro; para a prorrogação da Lei de Incentivo ao Esporte; e para a continuidade da obrigatoriedade da educação física na grade curricular escolar.

Nos quatro anos de mandato, destinou ao Rio Grande do Sul quase R$ 70 milhões, priorizando saúde, segurança, educação e esporte.

Se no mandato de vereador João Derly foi o primeiro do país a ter um Whatspp para o diálogo direto com os cidadãos, no mandato federal criou o “Tu Decide”, ferramenta que permitiu aos gaúchos a ajudarem a decidir a destinação das emendas do mandato.

Novos desafios, então, surgiram. Após a experiência no Legislativo, João Derly foi convidado a assumir a Secretaria Estadual do Esporte e Lazer do Rio Grande do Sul, em 2019. Em um cenário desafiador de crise econômica que o Estado enfrentava, apostou na criatividade para agir na defesa e promoção das políticas públicas para o setor. Entre as ações de destaque estão o “Ingresso Social” que distribuiu cinco mil ingressos a cinco mil crianças e adolescentes de escolas públicas de Porto Alegre e interior do estado para jogos da Copa América; lançou o edital do Fundo Estadual de Incentivo ao Esporte, que distribuiu mais de R$ 1 milhão em recursos da contrapartida do Pró-Esporte RS para projetos sociais; e a redução das alíquotas de contrapartida da Lei de Incentivo ao Esporte de 25% para 10%.

A redução da contrapartida era luta antiga e muito esperada por atletas, clubes, gestores e toda comunidade esportiva há muitos anos.

Assim é João Derly: bicampeão mundial de judô; padrinho de diversos projetos sociais; embaixador mundial do Judô; marido da Gabriela; pai da Isabela e do Benício; ex-vereador; ex-deputado federal; ex-secretário de Estado; e, acima de tudo, um porto-alegrense que não abre mão de valores, princípios, fé e trabalho, muito trabalho.

× Fale comigo no WhatsApp!